quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Epístola para o Sol

click to comment



Houve uma criança em mim que amava o teu corpo
e nele se escondia para estar só e ausente.
E sabia então que a tua luz crua e firme
calava a ira e ofuscava a discórdia
que viviam outrora no interior dos quartos.
Hoje,assim contigo, face a face, fecho as pálpebras
e apenas com o tacto te sinto e reconheço.



bons sonhos...

Poetisa- Fiama Hasse Pais Brandão

1 comentário:

M.Silva disse...

passei apenas para comentar a foto postada, de facto, requer uma grande pesquisa ,para nos contemplar com esses hinos á fotografia.Parabéns, vou passando.

bjos.